sábado, 20 de junho de 2009

Nevoeiro


Adoro ir para a varanda em manhãs de nevoeiro, em troco nú. Sentir o ar condensado, fresco, no meu peito despido.
Passo os dedos pelo rosto e sinto a barba por fazer, sinal de uma noite que passou depressa demais.
A névoa que me envolve, qual abraço apertado, entra-me pelo nariz e traz-me o cheiro dos barcos em alto mar, do comboio que passa na linha marginal, das gentes que começam, logo pela manhã, a sua luta diária.
Os meus desejos, que pensava ter deixado na cama de que há pouco saíra, vêm ter comigo, relembrando os teus lábios, doces como cerejas em pleno Verão.
Fecho os olhos e não preciso mais de imaginar pois sinto as tuas mãos nos meus ombros, virando-me sensualmente. Encostas o teu rosto ao meu peito e dizes, com voz de quem acabou de acordar:

- Adoro o teu cheiro no amanhecer...

Eu, de olhos ainda fechados, estremecendo, não sei se pelo fresco da manhã se pelo que me fazes sentir, não te respondo.
Envolvo-te nos meus braços e nas minhas certezas, encosto o teu peito bem junto ao meu e. num suspiro, faço menção de dizer e não sai...
Tivesse eu a coragem de dizer o quanto te amo. Fosse eu capaz de soltar estas amarras, de viver sem medo deste nevoeiro que tantas manhãs me envolve.
Sinto que esperas que o diga, sinto que esperas que o sinta, mas... meu amor, deixa-te só ficar mais um pouco no meu peito.
Sou lobo solitário, perdido da alcateia, e tenho medo, tanto medo do que sinto....

8 comentários:

Storyteller disse...

E eu quase que consigo sentir o cheiro desse nevoeiro.
Belíssimo!

lagrima disse...

Menino doMar, é de facto belissimo o que escreveste, mas mais belo do que o que escreveste é o que sentias enquanto o fizeste!
Sente-se! E para que te faça tanto medo, só pode mesmo ser um amor de letras gigantes. Não te inquietes, dexa-te ficar assim nesse abraço, não o largues, fica assim bem apertado, no momento certo tudo vai acontecer como mereces.
Gostei de te ler, gostei imenso.
Beijo.

*flor* disse...

Eu gosto de me encostar no peito (dele) e ficar lá a descansar do mundo, esquecer das horas envolvida por um abraço que nunca se desfaz. Enquanto o medo o devora sem ele nunca perder a postura.

E gosto. Gosto muito do que escreves. É sempre bom perceber como é estar do outro lado no meu caso do lado deles. Do vosso lado.

Gingerbread Girl disse...

Um texto que só se consegue escrever quando DE FACTO se está muito apaixonado. ;)

kiss*

Delirius disse...

..."adoro o teu cheiro no amanhecer..."

É tão bela e sentida esta tua carta de amor, que me me deixei embrulhar nas palavras e teus sentires em cada letra que se colava em mim. O abraço é a expressão mais pura do carinho imenso! E de repente eu estava nesse abraço enorme e não me apetecia saír de lá! O abraço não precisa de palavras, é como as mãos quando se encontram.

Puxa vida, corre logo para os braços dessa menina, moço... :-)))

Adoro ler-te, Menino do Mar, e reler-te, sempre de seguida.

Beijo.

Menino do mar disse...

Story:
Eu adoro o cheiro do nevoeiro.
Beijo

Lagrima:
Obrigado :))

*Flôr*:
Eu acho que a maior parte das vezes o que acontece com os homens é medo de amar, de expôr esse amor, porque os faz sentir vulneráveis...
Obrigado pelas tuas palavras :)
Beijo

Ginger:
:) hummmm será? :)))))
Beijo

Delirius:
Correrei linda, correrei... um dia...
Beijo

Pipoca disse...

Revejo-me em muitas das palavras que aqui escreveste.
Queremos entregar-nos mas muitas vezes o passado sussurra-nos as nossas proóprias histórias lacrimosas ao ouvido, prendem-nos.
Um dia vais libertar-te, vais dar de ti a viver esse amor a 100%.
Espero um dia poder fazê-lo também..mas nesta altura ainda vivo colada ao chão.
Adorei descobrir o teu blogue, ganhaste uma seguidora atenta.
Um beijo
Pipoca

Menino do mar disse...

Pipoca:
Obrigado pelas tuas palavras e por me seguires :)))
Beijo