domingo, 27 de dezembro de 2009

Carta

Nos relógios residem angústias.
Os ponteiros arrastam-se lentamente e os dias não passam.
É sempre assim quando desejamos muito que chegue algo. Quando queremos ansiosamente que o amanhã seja já hoje. Quando, no fundo, perdemos a capacidade de esperar.
O amor desespera-nos. As horas tornam-se dias e os dias anos quando estamos longe de quem nos faz sentir bem. De quem nos completa e nos faz, verdadeiramente, felizes.
Uma amiga disse-me, uma vez, que os sonhos, as ilusões, não deixam o tampo da sanita levantado. Eu pensei, eu também não, mas no fundo percebi o que ela queria dizer.
Segunda feira, dia 28, faço seis meses de namoro. Um namoro inesperado, surpreendente e que, por isso mesmo, despertou medos, inseguranças, incredulidade e até desconfiança.
Não me parecia real. Não estava já habituado a namorar. Admito que me tinha já, de certa forma, resignado a ir aproveitando as relações fugazes que a vida me ia trazendo. Poderia ter sido assim contigo. Não o foi, porque tu soubeste ser a namorada que eu já não esperava, que eu ainda não sabia existir.
Durante todo este tempo (parecem anos), houve momentos bons, muito bons e outros maus, péssimos, em que quase ia tudo por água abaixo. No entanto, voltaste a saber ser, a saber estar. Poderás dizer-me que também eu o soube, mas, enfrentando a tua assumida teimosia, digo-te, tens sido a minha, a nossa, âncora.
Nestes seis meses não te mostrei a ilusão. Mostrei que, figuradamente, deixo o tampo da sanita levantado. Não sou fácil e tu já o sabes.
Tu és hoje a curva exponencial do meu sentimento, do meu amor e, poderia dizer-te neste momento, que te amo, desafiando o cepticismo de quem me lê e que duvida certamente que se possa amar em apenas seis meses, mas não o vou fazer. Vou continuar a remar, a teu lado, no teu compasso, demonstrando a cada instante aquilo que muitos perguntam ser.

Neste novo ano que se aproxima, não formulo desejos, apenas te dou a certeza de continuar a ser como até aqui e , conhecendo-te, sei que dessa forma vais conceder o desejo que mais espero concretizar, estar a teu lado.

Teu

Menino do Mar

12 comentários:

anaferro disse...

Acredito que se possa amar em 6 meses, numa semana, até... O tempo é, em tudo, tão relativo, quando os corações se tocam. Porque muitas vezes sabemos naquele instante que aquela é realmente aquela pessoa. O tempo só não é relativo na espera. Aí é duro, agreste.

Pelo que leio aqui, e pelo que também já senti e ainda sinto, o amor é isto mesmo, é o hoje, é o fogo, é o querer mais que a todas as coisas e ver em defeitos feitios, aprender a encaixar todas as peças mesmo que aparentemente não tenham encaixe. A realidade, essa é outra, a bruxa má, a que tem a distância, a que tem os contratempos. E no vosso caso, o amor tem vencido a realidade. Trava duras batalhas com ela mas tem vencido. Venham os próximos rounds e sejam realmente felizes hoje, porque isso é o que importa.

No meu caso, infelizmente, a realidade triunfou. Mas até nesse caso, sentir esse amor, nem que ele esteja esmagadinho por baixo das pedras que nos abalroaram, é bom. É saber que algures bate um coração no mesmo compasso que o meu. Mesmo que nunca formem uma linda canção como a vossa.

Sejam felizes, como diria o Solnado, façam o favor de ser felizes. O mundo precisa de histórias assim.

Um beijinho para os dois

Pinkk Candy disse...

olá,
que carta linda, linda!!!
assim, o Amor é lindo :-)
parabéns aos dois!

kiss

Girl in the Clouds disse...

O Amor existe e não escolhe quando aparece!! Bonito texto!! Kiss

MagicWoman disse...

:))

Um amor assim
só pode ser um amor feliz :)

kiss

Little Tomato disse...

aaaaaaiiiiiiii que vocês estão mais doces que chocolate à lareira em noite de natal!!!

Inês Oliveira disse...

Como te percebo.
É tudo tao verdadeiro o que dizes.
Continua a escrever.
Adorei.
Um bom ano Novo :)

Luz disse...

Estou..., fiquei com um nó..., mas um nó bom! Daqueles que nos deixa completamente sem palavras porque sentimos todas as palavras que aqui estão escritas por este amor, este sentir tão grandioso como é o amor.
E, mais ainda essa consciência das imperfeições, dos feitios, do conhecimento que se vai fazendo um do outro e, que há sempre um que em certos momentos consegue ser mais âncora que o outro, hoje é um, amanhã será outro, é assim mesmo uma relação a dois. Pena é que há quem ainda não o saiba e nem nunca venha a saber que assim é, não existem relações perfeitas, existem relações que se completam dia-a-dia e, esse é o grande desafio que nos vai tornando mais confiantes e certos da escolha que fizemos mesmo nos momentos menos bons pelos quais também passamos, mas faz parte e, que não abala o que sentimos, crescemos tanto, crescemos juntos com aquela pessoa que sabemos que está ali sempre ao nosso lado e nós também de forma intensa e incondicional, isso é saber amar, é doarmo-nos ao outro.
Linda esta carta, revela a pureza desse amor tão bonito e consciente, porque também é importante ter os pés assentes.
E, quanto ao tempo, isso não é relevante, claro que amamos em seis meses e, menos ainda, quando há aquela sintonia, a cumplicidade, quando sentimos que fomos tocados e também tocámos alguém o tempo não importa, o que importa é o que sentimos e a nossa cabeça. É também desta forma que sinto e vivo o amor, mesmo quando ele está distante... e, está sempre tão perto.

Abraço de Luz e tudo de bom para os dois, as maiores felicidades :)

Girl in the Clouds disse...

Não tenho farmeville, mas as galochas dão muito jeito com o tempo assim!!

Vani disse...

Ninguém é fácil. O amor não é fácil. Mas quem ama, ama e luta por esse mesmo amor. Porque, vale a pena. Vale mesmo a pena. :)

Dez anos depois, ainda vale a pena. :)

Lia disse...

Ai opá...vocês são mesmo um casal do melhor! São os 2 queridos até mais não e nota-se que transbordam amor!
Parabéns por esse sentimento tão lindo e que esses 6 meses se multipliquem até ao infinito!

Vani disse...

Parabéns e até daqui a mais seis meses!! :D

Smurf disse...

Muito bonito e cheio de amor este texto. Muitas felicidade e o 2010 do melhor para o amor.