segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Recadinho

"...Quem me dera ouvir de alguém a voz humana
Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia;
Que contasse, não uma violência, mas uma cobardia!
Não, são todos o Ideal, se os oiço e me falam.
Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?
Ó príncipes, meus irmãos,


Arre, estou farto de semideuses!
Onde é que há gente no mundo?


Então sou só eu que é vil e errôneo nesta terra?..."

7 comentários:

Hyndra disse...

Ora, o que não falta por aí é gente com pinta de deuses mas quando passamos cinco minutos com eles ou elas percebemos logo que não são assim tão imortais!

Pipoca disse...

Menino do Mar, a ti me confesso. Longe de ser uma semideusa, consigo ser vil, e muitas vezes mostro, sem pudor, que tenho uma natureza cáustica. É o meu lado lunar, não há ninguém que nasça sem essa maldição. Beijo

Menino do mar disse...

Hyndra:
São os donos da verdade... criticam quando não sabem ser melhores...

Menino do mar disse...

Pipoca:
Eu também, admito-o, e mais, gosto de o ser! Não me arvoro em moralista, sou como sou!

Beijo pipoquinha

Pipoca disse...

Miminho no meu blogue

Only Words disse...

É a errar e a cair, por vezes até a atraiçoar-nos, que nos tornamos mais nós!

GiGi disse...

Ahahahah esta foi boa!

Lembrou-me o mundo da dança do ventre, no qual me insiro. No meu ambiente não é assim, mas existem lugares em que as moças disputam ferozmente pela "divindade" e pela atenção de todos. Muito difícil, pois todas são belas, porém nenhuma deusa! ^^

Você escreve tão bem...

Beijinhos!