quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Escritor


Escritor das horas mortas,
de livros despidos,
de mapas sem rotas.
Escritor da vida em segredo,
das curvas da estrada,
do tudo e do nada,
da morte sem medo.
Escritor que esperas ser,
e voar na caneta,
nadar no papel.
Escritor sem eira nem beira,
da espuma do mar,
do quente da areia.
Escritor sem favo, sem mel,
teus olhos tristes
são tudo o que existes.
Escritor olha as estrelas,
tão altas, tão belas,
tão cheias de si.
Escritor, tudo o que precisas
é olhar para a frente,
como quem vive, quem sente,
e nessa tela vazia,
serás traço de cometa,
a esculpir no céu tua alma de poeta.

9 comentários:

Cereja disse...

que belo poema :)
Bom dia Menino do Mar

Jeanette Zork disse...

Um bom escritor deve mesmo saber entender a linguagem das estrelas, porque só asssim as suas letras e poemas podem almejar o atrevimento cintilante de iluminar as noites de muitos corações.

Zork Kissis*****

sakura disse...

Este poema transmite tudo o que sentes sobre o teu sonho que é ser escritor...
Escritor a tempo inteiro, sem nada mais com te preocupares sem ser passar tudo o que vai dentro de ti, da tua alma, para o papel.
Um sonho distante, que quem sabe um dia vira realidade :)))
Porque tu já és o meu escritor favorito, o meu poeta de eleição, o meu amor.

Adoro-te.
Flor

Only Words disse...

A escrita tem alma, espelha o que somos, sentimos e vivemos!

Assim sou eu disse...

Olá.
Gostei do teu poema.
Beijo.

GiGi disse...

Que lindo!! Identifiquei-me com o poema :-))

Obrigada pela visita!

Beijos

Patrícia disse...

Gostei tanto deste poema.Vou agora ver o "conversas com escritores " na rtp n...

:D

Alexandra Inacio disse...

Parabens!!
tens uma escrita fenomenal ... parabens!! e continua quem sabe um dia .. BJ

de Marte disse...

Gosto do teu blog.

Tens o dom!