sábado, 1 de janeiro de 2011

9 da manhã


Nove da manhã. Primeiro dia do ano. A casa está silenciosa e quieta. Lá fora a rua imita-a e apenas o sol se atreve a reinar, espelhando-se no alcatrão molhado da humidade da noite.
Dentro de mim, um silêncio ainda maior que o deste dia em que todos se demoram mais um pouco.
Eu não o consegui fazer. Tinha que me levantar e tentar sentir algo.
As palavras ecoam como facas no meu peito, nos meus gestos. Sinto o olhar trémulo e os lábios inquietos. O que fazer? Como começar mais esta etapa?
Na verdade poderia não fazer nada, mas não sei continuar assim.
Precisava de desabafar. A gata olha-me com o desdém reconfortante próprio dos felinos. Não tinha ninguém, não tenho ninguém, vim aqui. Acho que vou voltar. É imensa a falta que me faz escrever.
Estou triste, tenho que avançar, tenho que decidir, tenho que fazer. Haverá lágrimas, sei que sim. Mas tem que ser.
Dói-me o peito. Dói-me a alma. Dói-me qualquer gesto que faça. Dói-me o tempo, pesa-me este viver.
Dia 1 de Janeiro, dia mundial da paz, e eu, eu sinto-me em guerra.


8 comentários:

OutrosEncantos disse...

10 da manhã!
Dia da paz!
1º dia do Ano 2011!

Escolheste o momento certo para abrir o peito, gritar, chorar e vomitar o veneno do que te amargura. E para isso nada melhor que pegar na caneta e nas folhas brancas, há tempo demais à tua espera, para recomeçares a escrever.
Escreve aqui, ali ou onde melhor de souber, ou te sentires mais livre, seguro e em paz, o que importa é escrever, escrever, curar a alma!
Por vezes precisamos fugir, por vezes é muito difícil voltar, enfrentar, mas..., tomada a decisão, o alívio interior é supremo!

Amei!
Isso, volta a escrever!
Todos os teus leitores vão voltar!
Eu já estou aqui!
Beijo e abraço!

Isabel disse...

Esta guerra dentro de si mesmo é para edificares...tenhas certeza disso...ainda bem que estás em gerra,pois significa que estás vivo.Pior são os que acordam no siléncio e nele permanecem
abraços...Ano Novo??...Sempre renovamos quando estamos vivos.

100 remos disse...

;( A eterna guerra entre o ter e o dever.

ana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlota Pires Dacosta disse...

É doloroso sentir a tua dor.
É doloroso sentir o teu sofrimento.
"Ler-te" de novo soube bem... continua.
Beijo

Asiram disse...

estou contente por voltares, e eu percebo te eu ultimamente tb ando em guerra comigo mas isso há-de passar ;D

Cereja disse...

6º dia do ano:
Um feliz ano novo para ti Menino do Mar.
Já tinha saudades de te ler.

Em@ disse...

ainda bem que voltaste a escrever. o blogue pode funcionar como catarse. faz bem à alma partilhar as nossas emoções.aqui e lá estamos aí , :)
que 2011 te traga o melhor do Melhor.
deixo-te também um beijinho.
tenho montes de grafittis para postar. aqui e ali vou-os roubando com a minha máquina. um dia destes ponho-os na montra do meu canto.tenho a certeza que vais gostar (por ex a west side gallery - Berlim-, todinha)