quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Amor a lápis de cor


Descobri
no fundo da lata da escola,
de mãos
h
e
s
i
t
a
n
t
e
s
transbordando sonhos,

que o teu amor só o podia desenhar
se fosse a pis de cor.

5 comentários:

a Gaja disse...

e para quando a continuação da rapariga da janela???

Menino do mar disse...

A janela agora ta embaciada...

Anna disse...

Quando se brinca com as palavras, elas ganham uma outra vida, cor, dimensão...
Como os haikus tão bem o comprovam, não é a parcimónia ou a simplicidade que diminuem a intensidade da mensagem implícita.
Um jogo sinestésico simples que, no fim, se torna doce e encantador!

Roxanne disse...

as cores são sempre giras! sobretudo no amor!

Sally disse...

E as cores perdidas da alma, como se arranjam?