segunda-feira, 4 de julho de 2011

Se o teu olhar cantasse


Se o teu olhar cantasse,
que música serias quando o quarto se inunda de luz em frestas,
tímidas,
a acordarem os corpos exaustos de amar?

Seria a melodia da cotovia,
ou um canto grave, sofrido,
adormecido ao sabor do mar?

Seria espuma, vento,
ou um simples gemido dos teus dedos na minha pele?

Ao ritmo de uma cama a ranger,
sou uma estrofe no teu olhar,
e rimo-me no teu sorriso.

Quando te canto
e me aporto em teus braços
sou um poeta perdido,
uma pauta vazia em teu regaço.

3 comentários:

Carlota Pires Dacosta disse...

Quantas "canções" se perderam
pela razão do pensamento
Quantos desejos sucumbiram
Ardentes,inebriantes.. encantamento!

sakura disse...

Este é um poema daqueles, sabes?
Que me deixa a suspirar...
Digno de estar no "De Amor e Poesia". São dignos todos os teus poemas, mas este arrebatou-me o coração...por me lembrar tanto, tanto de nós.

Continua o excelente registo, meu amor.
Um dia temos por aí o livro :)

Flor

Li em Pink High Heels disse...

Bonitas palavras :)