segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Incondicionalmente



Quis a vida que o fizéssemos aos poucos, de quinze em quinze dias, e nas poucas férias que temos juntos, mas o tempo passa e a nossa relação vai ficando cada vez mais forte. A cumplicidade, o companheirismo, a compreensão, o amor, crescem e alimentam-se mutuamente.
De mim, para além do que já dei, dou os valores, aos poucos, como o biberão que tomavas quando ainda me cabias nos braços. Tu dás-me o sorriso, as partilhas. E tudo isto, sem pressas.
A vida flui e na tua tenra idade, já me compreendes nos silêncios que às vezes partilhamos. Eu, eu já te conheço, como a palma da mão. E tento ser o melhor pai do mundo, redescobrindo-me a cada dia que passa, a cada fim de semana que estamos juntos.
Quero mostrar-te o que já vi, o que isso me fez ser e o que, no meu pensar, deve ser a nossa passagem por este mundo. Tu, dás-me a mão e acompanhas-me, por vezes de mau grado, porque queres fazer sempre tudo ao teu jeito e, até nisso, somos tão parecidos... Mas sei , no fundo, que fica em ti muito do pouco que temos juntos.
Conta comigo para te aceitar como és. Sem juízos, sem prisões. Apenas umas regras aqui e ali para te encaminhar.
O resto, o resto fazes tu, debaixo do meu olhar e da mão que te ampara, até ao dia em que te sentires preparada para voar e em que eu serei o primeiro a sorrir.

15 comentários:

sakura disse...

Amor...
Fiquei de lágrimas nos olhos ao ler este texto. Porque, de facto, assim é: tu és o melhor pai do mundo.
O melhor pai do mundo não dá aos filhos tudo o que eles querem só porque sim, não lhes faz todas as vontades. O melhor pai do mundo está lá para eles, ampara, dá carinho, brinca, ensina e orienta. E isso é o que tu és.
O amor que sentes pela pequena princesa é imenso e palpável, tanto nos momentos das birras como das brincadeiras onde o teu sorriso mostra o quanto te enterneces com ela...
E sei, do fundo do coração, que ela te adora tanto como tu a ela.
És um pai incrível e eu orgulho-me muito de ter um namorado assim.

Amo-te muito.

Flor

Chocolate disse...

Tb sou mãe e é assim que tem de ser...
nem sempre é fácil mas fazemos o nosso melhor...

bjs

anaferro disse...

Eu também dou para esse peditório das choronas!

Ainda não passei por essa experiência de que falas mas sou bastante interessada pela psicologia das relações entre pais e filhos. E acredito que seja uma dualidade que carece de aprendizagem. Tanto no ser pai como no ser filho.

Fascina-me esse ter que aprender a dizer não, o conciliar do amor tão desmedido com as regras necessárias à educação de um passarinho que nunca abriu asas. E penso que a arte está mesmo aí, no que descreves, no saber ensinar ao mesmo tempo que se respeita os traços de personalidade já formados e saber a hora de deixá-la abrir asas. E, sobretudo, a luta interior de um pai para nos olhos de birra encontrar o verdadeiro fundo, aquele que une e por onde tem que se pegar para seguir em frente.

Texto mais sentido não podia sair do teu coração :)

Cereja disse...

Cada vez que leio texto assim, que são um reflexo do amor pelas crias, tenho pena que os meus pais não tenham blog para de vez em quando me mimarem assim virtualmente.
Aproveita e fortalece todo esse amor.

CF disse...

Puxa, logo hoje, que tou uma lamechas do pior, vim ler isto, para ajudar... To que nem posso...

Sofia,Pedro e Joana disse...

Olá, conheci o teu blog através de um outro, "Desabafos de Gaja". Parabéns pelos textos mas sobretudo por este, está divinal!
Beijinhos,Sofia,Pedro e Joana

Poetic GIRL disse...

Ai que homenagem tão linda... espero que lhe mostres estas palavras um dia... bjs

Lady disse...

Lindo texto.
Sou mãe e dou minha vida pelo meu maior presente, meu filho, que é a razão do meu viver...
Tenha um lindo dia!

Brown Eyes disse...

Tudo deve fluir naturalmente, acompanhando mas deixando crescer. Lindo

Martinha disse...

lindo lindo lindo :)) adorei o texto! está fantástico, sincero e emocionante*

Patrícia disse...

Muito bem.Adorei este texto,porque é mais que um texto,amar os filhos incondicionalmente é isso mesmo,encaminha-los sem os tornar demasiado dependentes,dar-lhes o seu espaço.

:D

Beijinhos e bons fins de semana com a filhota!

Patrícia disse...

Este texto é tão sentido que até fico sem palavras.

Kikas disse...

oh menino do mar :') este texto está lindo. acredito que a tua filha, se ainda não o sabe, vai descobrir a sorte de ter um pai como tu! e vice-versa, claro :D um beijinho grande para o menino e para a minha "sobrinha" :p

Assim sou eu disse...

Simplesmente... lindo, repleto de sentimento...
Enfim, passei mesmmo para dizer que gostei
:)

Isa disse...

Gostei muito e não me canso de o ler.
Como bom é ser mãe, como bom é ser pai.
Todos os momentos com eles são de aproveitar, são de crescer, são de aprender.

Muitas felicidades,

Isa